Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Janela para (A)mar

por Natacha, em 24.04.13

Não preciso de mais nada, dêem-me uma janela para o mar, um livro, e tempo, tempo para contemplar cada pormenor com os olhos sedentos de emoções.

Quero respirar o ar que me traz o cheiro a maresia e me arrepia a pele, fechar os olhos e sentir, sentir-me pertença de um lugar e não um barco à deriva no mar, como em tantos dias.

Da minha janela tudo é perfeito, tudo é desenhado pelas mãos da natureza, só vejo azul, muito azul e algum branco pontilhando aqui e ali o céu. Toca-me a calma, toca-me cada contorno das nuvens, poucas, e o chilrear dos passarinhos que brincam à primavera, num jogo de toca-e-foge. Toda eu sou um sorriso só, um sorriso de alegria, um sorriso de gratidão.

Quando leio na minha janela para o mar, entro na história com maior facilidade, apaixono-me pelo personagem principal e invejo a sua amada, danço a mesma dança na minha quietude, e choro as mesmas lágrimas, grossas, que me desenham na face rios salgados, e me turvam a visão.

Por momentos, muitos momentos, de janela aberta, olho-te lá fora na imensidão do mar e do horizonte. A janela está aberta como que um símbolo de liberdade, a liberdade da permanência, a liberdade da volta, a liberdade do partir, da fuga. Nada em nós pode ser sufoco, a não ser o desejo.

Pela janela aberta, permito que entre toda uma energia que me lava a alma e que me enche de esperança, existe sempre uma esperança numa janela que se encontre aberta.

Por vezes a janela teima em emperrar, trazendo o desespero próprio de quem gosta de se sentir livre, de quem precisa de ar a renovar a todo o momento. Nesses dias, tudo é mais difícil de suportar, até o tempo custa mais a passar, mas com arte, e disponibilidade, tolerância e perseverança, aos poucos a janela abre, trazendo de novo ao meu coração a calma, como se fosses tu próprio num regresso não esperado mas tão desejado.

Hoje, atiro-me pela janela, não num momento insano de desespero, mas num momento louco de entrega e amor.... sei que vou nas tuas asas e que me levarás a voar mais alto ainda que quando leio os meus livros na janela para o mar e entro nas histórias que não são minhas.

Hoje, atiro-me da minha janela para o (a)mar...

tema semanal: daquela janela

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

servido às 11:44





Pesquisa

Pesquisar no Blog  




As imagens deste blog foram retiradas da internet porém se alguém desejar reclamar os direitos autorais de alguma por favor envie-nos uma mensagem que imediatamente providenciaremos a remoção da mesma



Arquivos


Amazing Counters
home page hits

online